Homenagem ao escritor e poeta cabo-verdiano Arménio Vieira, Prémio Camões 2009

É o primeiro cabo-verdiano a receber o Prémio Camões, nasceu na cidade da Praia, na Ilha de Santiago, Cabo Verde, em 24 de Janeiro de 1941.

O Prémio Camões, criado em 1988 pelos governos português e brasileiro, distingue todos os anos escritores dos países lusófonos. O poeta e escritor Arménio Vieira é o vigésimo primeiro galardoado com o Prémio Camões, que já galardoou nomes como José Saramago, Pepetela ou Agustina Bessa-Luís.

Helena Buescu, presidente do júri, disse que a atribuição do Prémio Camões a Arménio Vieira é o reconhecimento da literatura e da visão literária importantíssima do poeta cabo-verdiano. Cabo Verde tem, de facto, uma tradição literária e cultural que merece o reconhecimento, acrescentou.

“A título pessoal, eu esperava o prémio. Mas por causa de ser Cabo Verde, admiti que fosse ainda um bocado cedo. É pequeno em relação à imensidão do Brasil, que tem centenas de escritores óptimos. E Portugal também. Seria muito difícil Cabo Verde apanhar o prémio”, disse emocionado.

Homenagem ao escritor e poeta cabo-verdiano Arménio Vieira

Homenagem ao escritor e poeta cabo-verdiano Arménio Vieira

“É uma honra pessoal. Eu é que sou o autor dos livros que ganharam o prémio, porque é atribuído à obra e não à pessoa. Acho que é uma honra para Cabo Verde. E histórico, Cabo Verde nunca tinha ganho. Desta vez lembraram-se do nosso pequeno país”, acrescentou Arménio Vieira.

O galardoado manifestou a esperança de que, a partir de agora, a sua obra venha a ser estudada em Cabo Verde e no estrangeiro.

A homenagem ocorreu no dia 26 de Junho nas instalações da ACV cuja apresentação do escritor esteve a cargo de Prof. Alberto Carvalho, Profª Ana Maria Martinho e José Luís Hopffer Almada. Houve ainda declamação de versos e interpretação de canções do poeta.

Homenagem ao escritor e poeta cabo-verdiano Arménio Vieira

Além de escritor, Arménio Vieira é jornalista, com colaborações em publicações como o Boletim de Cabo Verde, a revista Vértice, de Coimbra, Raízes, Ponto & Vírgula, Fragmentos e Sopinha de Alfabeto. O Arménio Vieira também foi redactor no jornal Voz di Povo. Publicou até hoje quatro livros e está a preparar um quinto. Arménio Vieira disse que, a título pessoal, já esperava ganhar mas sublinhou que era ainda cedo para um autor de Cabo Verde ser distinguido. Até pensava que era brincadeira quando lhe comunicaram que tinha sido galardoado.

Obras do Arménio Vieira:

Poemas, 1981

O Eleito do Sol, 1990

No Inferno, 1999

Poesia e MITOgrafias, 2006

Últimas entradas

  • Dia da Cultura e das Comunidades Caboverdeanas
  • Palestra sobre A Arte Pública Colonial em Cabo Verde - Joaquim Saial
  • Ler e escrever

0 Comentários

Deixe o seu comentário

Tem de estar registado para deixar o seu comentário.